Masculinidade no mês da Mulher

Há séculos as mulheres são “educadas” a ter comportamentos e atitudes, condizentes aos comportamento e às atitudes que dá poder e liberdade aos homens. É certo que as mulheres sempre tentaram mudar essa educação com algum ou nenhum êxito, mas continuamos tentando. Só que é uma tarefa difícil e cheia de barreiras.

Quem não vive numa posição de desvantagem estabelecida dificilmente saberá os infortúnios dessas desvantagens. Atitude muito cômoda.
Quando a gente tem filhos é comum nos colocamos no lugar deles pra pensar como melhor agir, educar, orientar. Me pergunto porque os pais não fazem esse exercício de forma recorrente com relação às suas filhas. Ao mesmo tempo se colocar no lugar dos filhos homens experimentando se perguntar o que na sua própria educação, se tivesse acontecido levando em consideração o respeito às mulheres como seres humanos iguais, lhes teria trazido melhor compreensão dessa igualdade. Idealmente deveríamos fazer esse exercício de nos pormos no lugar do outro o tempo todo. Uma questão de respeito ao outro…
Na próxima terça dia 10 de março teremos mais uma mesa de debates na Ayne.
Esta semana vamos discutir a identidade da masculinidade. O debate será instigado por homens poderosos. Poderosos porque questionaram seu lugar masculino na sociedade.

Venha participar desse exercício.

Por Simone Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *