Quando foi que a exclusividade virou uma noção de amor?⠀

As vezes eu me pego questionando quando foi que a exclusividade, a ideia de uma “alma gêmea” se tornou um medidor do amor. Por que é tão comum ouvir alguém dizer que se você se atrair por outra pessoa, então você não amava de verdade seu companheire. Por que a ideia de abrir mão da possibilidade de vivenciar e se relacionar de maneira única com tantas pessoas se tornou um símbolo, uma prova de amor? ⠀

Esse amor pautado na exclusão, ou em outras palavras, limitante da possibilidade de amar a um único parâmetro é nos apresentado como o “verdadeiro amor”. Mas do sertanejo até nossas relações mais próximas, é muito comum vermos casais que tiveram experiências de se relacionarem com outras pessoas. E isso, é tão comum que é contraditório almejarmos tanto relacionamentos exclusivos, se na prática, eles são tão minoritários.⠀

Mas afinal, onde estaria essa exclusividade que tanto se almeja? Alguns diriam que é no sexo, o que eu acharia muito super estimado, pois o sexo sempre existiu desvinculado do amor. Outros diriam, do sentimento amoroso. O que eu acharia impossível de controlar. ⠀

Pra você, o que é essa exclusividade que lhe agrada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *