A Ayne faz 2 anos.

São 2 anos de corpo.
São 3 anos de mente, 3 anos de alma, 3 anos na construção deste corpo.
Primeiramente o que veio à mente já tinha eco no coração. 

Muitos já me ouviram falar da história que inspirou esse projeto. Na conversa com uma conhecida que contava de suas dificuldades pela vida.  Pensei que, como ela, também havia tido as minhas. 

Todos nós temos e teremos as nossas. Coisas que fazem parte da vida. Então refleti sobre a forma como eu havia ultrapassado as minhas.

Eu nunca estive sozinha. Sempre tive o suporte e cuidado dos que me amam. E são muitos. Minha família, meus amigos, profissionais que sempre me assistiram.

Verdadeiramente a Ayne nasceu do meu desejo de que outras pessoas não precisassem estar sozinhas em seus momentos difíceis e nas horas em que não vemos saída, mas ela existe.

O corpo da Ayne foi se concretizando ao encontrar pessoas que conjugavam esse desejo. Muitas vezes de uma forma que parecia não haver relação com o que eu propunha, mas fazia parte. Até porque sei que fui inspirada pelos meus guias a não ser pequena nesses desejos e estar aberta ao traçado do caminho que tomava forma. 

A pouco tempo atrás ouvi da Virgínia um grande elogio, “A Simone pode não concordar com a gente, mas ela ouve.” Quando cursei Adm acho que aprendi algumas coisas, mas hoje vejo que minha formação se deu de forma bem mais ampla pra gerir essa casa. Minha família me ensinou a como tratar as pessoas. Muitas experiências profissionais me ensinaram como não tratá-las. Minha vida ensinou que juntas somos melhores e mais fortes.

E por falar em corpo somos um grupo de mulheres que trabalham com dedicação, envolvendo carinho e cuidado entre nós mesmas. Não poderia ser de outra forma. Todas somos mulheres engajadas, acreditamos no que estamos fazendo. Todas trazemos nossas boas experiências, nossas agruras e nossos sonhos para realizar esse trabalho.

Nesses dois anos muita gente veio à casa, muitos fomos buscar. Desses encontros a Ayne aproveitou pra desabrochar, mas nossa planta é complexa, cheia de ramos e com necessidade de adubo de gente de verdade. Fomos moldando esse destino, nos identificando com quem tinha sonhos e realizações que se relacionam com os nossos.

Estamos aqui para realizar e fazer com que você se identifique conosco.

Seremos sempre uma casa que acolhe. Todos os dias nosso movimento é o de fazer mais gente crescer junto conosco.

Nosso desenvolvimento será para refletir a leitura que temos de onde habitamos. 

Buscamos estar cada vez em maior sintonia com as pessoas. 

Esperamos sempre ouvir as vozes de quem precisa de nós e podermos expressar a realidade de quem conta com nosso poder de transmissão. 

A Ayne não sou eu, a Ayne não é um grupo de mulheres. Também não é um sonho ou um desejo. Não temos metas a alcançar, queremos evoluir. Queremos que olhem pra nós e reflitam, questionem e vejam o outro junto conosco. 

Somos constante evolução. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *