Não desiste

Essa semana por questões emergenciais precisei ir pra rua.
As coisas estão tentando voltar àquele normal que a gente ainda nem faz ideia do que seja.

Me chamou a atenção o número de pessoas na rua. Muita gente! Não consigo ver tanta normalidade assim em mais de 60.000 mortos pra tudo querer ser tão normal.

Também achei as pessoas, especialmente as no trânsito, extremamente impacientes. O que houve? Perderam a já tão pequena habilidade de dirigir? A pressa de chegar onde não se podia ir na semana passada é tanta que 20 segundos fazem enorme diferença? Aquela nova forma de encarar o mundo após tempo de isolamento e reclusão é essa?

Minha teoria pessoal acredita que o ser humano não é egoísta por natureza, mas porque nasce tão dependente que em princípio entende que é tudo pra si. A gente aprende a dividir, compartilhar conforme a vida (mãe e pai, família quando atenciosa à educação) vai ensinando.

Esse é pra ser um desses momentos em que a vida tenta ensinar, na marra mesmo. Pena que tem tanta gente mortalmente resistente.

É preciso continuar preocupado com outro que não apenas eu.
Tem horas que a gente cansa e quer mandar tudo pra lá mesmo.

Por favor, não desiste.

Por Simone Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *