Negociatas

Se há uma coisa que eu não sei fazer é negociar.

Na verdade não sei se o que ocorre é não saber negociar ou não gostar de negociar. Tenho por hábito acreditar nas pessoas (ingênua? burra? esperançosa?), portanto, quando me passam um orçamento, um preço, minha tendência é achar que esse é o valor justo.

Entendo que há culturas onde a negociação chega a ser um estilo de vida, faz parte das relações. Mas não é da minha cultura, natureza, etc. Me sinto feita de idiota.



A mesma coisa ocorre se pra argumentar comigo a pessoa exagera os dados as informações. Sabe o que faço com isso? A partir desse momento ignoro! Ignoro os argumentos, os dados, porque pra mim já existe uma segunda intenção em querer me enrolar, disfarçar a realidade. Vale no mesmo tom a insistência na barganha.

Esse “quem não chora não mama” dos brasileiros pra mim se encontra na mesma linha do “tirar vantagem”. Vejo isso como falta de respeito.

Ah! Eu e meu mundo imaginário!

Por Simone Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *